quarta-feira, 23 de abril de 2014

Globo perde 35% da audiência

Da Folha

"(…)Em 2004, a média diária da Globo (das 7h à meia-noite) era de 21,7 pontos em São Paulo. O SBT tinha a vice-liderança, com 8,4 pontos, e a Record registrava 4,2 pontos. Cada ponto equivale a 65 mil domicílios na Grande SP.

Em 2014, os números parciais, dos primeiros meses do ano, trazem a Globo com média diária de 13,8 pontos, uma perda de 35% de público. A Record registra 6 pontos, e o SBT, 5. (…)"

Mais um tiro no pé do Aécio: expôs suas 61 faltas ao trabalho no Senado.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deu dois tiros no pé ao querer desqualificar o senador Lindberg Farias (PT-RJ), na sessão de terça-feira (22).

O primeiro foi desagradar 100 milhões de internautas, ao tentar emperrar o Marco Civil da Internet.

O segundo foi jogar uma luz sobre o número absurdo de faltas ao trabalho no Senado.

Aécio tentou ficou sem argumentos, depois que foi desmascarado por Lindberg, quis agredir com desqualificações dizendo que o Lindberg teria chegado atrasado na sessão.

Lindberg rebateu explicando que enquanto ele é um dos senadores mais assíduos, Aécio tem um número de faltas elevado.

Segundo levantamento do site Congresso em Foco, nos anos de 2011, 2012 e 2013, Aécio já faltou ao trabalho no Senador durante 61 dias. E Lindberg de fato é um dos mais presentes. Foi o sétimo senador mais assíduo de 2013.

Para Aécio, seria melhor ter faltado mais um dia na terça para escapar desse vexame.

AÉCIO NEVES FICA COM A MARCA DE GAZETEIRO NA SESSÃO DE APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL DA INTERNET - FOTOS E VÍDEOS


SENADOR LINDBERGH FARIA DIZ QUE O TUCANO É UM FALTOSO E NÃO TEM MORAL PARA COBRAR PRESENÇA DE NINGUÉM NO CONGRESSO NACIONAL

O MARCO CIVIL DA INTERNET FOI APROVADO ontem (LEIA AQUI), em uma sessão bastante tumultuada no Senado Federal. A oposição queria postergar a aprovação, mas acabou vencida. Um grande BATE BOCA entre Aécio Neves e Lindbergh Faria encerrou o debate sobre o assunto, que foi à votação para ser aprovado sem emendas, seguindo agora para a sanção presidencial. O TEXTO aprovado é o que contempla a vontade do GOVERNO, defendendo a NEUTRALIDADE da INTERNET.

O Senador Aécio Neves (PSDB-MG), que com a proximidade das eleições não está mais emendando FERIADÕES no Rio de Janeiro, estava presente à sessão, e tentou liderar o movimento de adiamento da aprovação do MARCO CIVIL. Rebatido e criticado por sua iniciativa pelo Senador Lindbergh Faria (PT-RJ), Aécio disse que o Senador carioca tinha chegado "atrasado". Recebeu como resposta de Lindbergh, que sendo ele (AÉCIO NEVES) um dos mais ausentes e faltosos ao Senado Federal, não tinha condição moral de cobrar a presença de ninguém.


O clima esquentou, Aécio ficou enfurecido, tentou impedir a fala do oponente aos gritos, trouxe o processo que Lindbergh responde no STF para a discussão, e ainda contou com a "ajuda" do SURREAL Senador Mario do Couto (PSDB), que DEDO EM RISTE, partiu para cima de Lindbergh, que, com bastante BOM SENSO diante da atitude do TUCANO, um IDOSO destemperado e arrogante, colocou as mãos para trás evitando assim um confronto físico.

FIM DA SESSÃO, com MARCO CIVIL APROVADO e a MARCA de GAZETEIRO COLADA EM AÉCIO NEVES

Lula recebe 27º título de doutor honoris causa

O ex-presidente Lula ganhou nesta quarta-feira o título de doutor honoris causa da Universidade de Salamanca, na Espanha. O título é o 27ª honoris causa recebida por Lula. "A instituição te honra, e você, presidente, honra esta universidade", disse o professor-padrinho Gonzalo Gomez Dacal, titular de educação que foi o patrono da escolha do ex-presidente para ganhar a distinção em educação e filologia, pelo desempenho do governo em divulgar a língua espanhola, adotada no ensino do Brasil.

De acordo com o Instituto Lula, no pronunciamento, o ex-presidente discursou sobre a emoção de ganhar a denominação honorífica de uma instituição de ensino superior "tão tradicional", com quase oito séculos, e de como o Brasil tem nos últimos 11 anos trabalhado para crescer no ensino, depois de "séculos de atraso", com projetos como o Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies), que aumentaram o ingresso dos alunos na educação de terceiro grau. "Tivemos de enfrentar o preconceito das elites, que nunca confiaram na capacidade do povo brasileiro", afirmou o ex-presidente.

MÍRIAM LEITÃO COMPROVA QUE PETROBRAS VALORIZOU MUITO ADMINISTRADA PELOS GOVERNOS DO PT

MATÉRIA PUBLICADA - 13h27min. -  ATUALIZADA - 16h15horas

COLUNISTA DE O GLOBO USA MÁQUINA DE CALCULAR, E RESULTADO DA CONTA É: PETROBRAS VALE MUITO MAIS HOJE.
EU ADORO MATEMÁTICA
PRESTE ATENÇÃO NESSE TEXTO E NOS NÚMEROS APRESENTADOS NA COLUNA DE MÍRIAM LEITÃO (MARCADO NA COR AZUL) - FATOS E DADOS-22/04/2014
..."A Petrobras deu um salto. De acordo com o ranking internacional da Forbes, a cotação da empresa, que estava na casa de US$ 3 em 2002, chegou a US$ 62 em 2008. O mesmíssimo aconteceu com outras grandes do setor. A inglesa BP saltou de US$ 27 para US$ 55. A francesa Total subiu de US$ 19 para US$ 56. A americana Chevron foi de US$ 29 para US$ 81, apenas para citar três exemplos".

CONCLUSÃO DO BLOG
PRIMEIRA CONCLUSÃO: Em 2002 a Petrobras valia infinitamente menos do que as demais empresas de Petróleo no mundo. Valia, aproximadamente 10% da CHEVRON e BP e 15% da TOTAL.

SEGUNDA CONCLUSÃO: Entre 2002 e 2008 - Primeiro mandato completo de Lula, e dois anos do seu segundo mandato, a Petrobras valorizou MAIS DE 20 VEZES, indo de US$ 3 para US$ 62, superando inclusive o valor das outras empresas que subiram: BP dobrou sua valorização e foi para US$ 55 - TOTAL TRIPLICOU, indo para US$ 56 e CHEVRON cresceu 2,5 vezes, a US$ 81.

TERCEIRA CONCLUSÃO: O Desempenho da PETROBRAS foi estupendo, muito superior ao das outras empresas, e mesmo depois de o mercado internacional ter apresentado a reviravolta de 2009, a PETROBRAS continua com um índice de valorização altíssimo.  


VEJAMOS O QUE MAIS DIZ DONA MÍRIAM

..."Com o estouro da crise americana, todas as petrolíferas tiveram quedas, assim como o barril de petróleo. Passado o pior momento, no entanto, a recuperação foi generalizada. Menos da Petrobras.

O preço médio do barril WTI caiu de US$ 99,5, em 2008, para US$ 61,6 em 2009. Voltou a US$ 97,9 em 2013. O movimento das empresas foi o mesmo. A BP teve queda de US$ 55 para US$ 31, entre 2008 e 2009, mas voltou para US$ 48 este ano. A Total tem o preço de ação hoje mais alto do que no auge de 2008: US$ 63. A Chevron também: a ação vale US$ 124. Muito acima do pico de 2008.

As ações da Petrobras despencaram nos últimos anos e estão na casa de US$ 14, longe do pico de US$ 62 de 2008".

QUARTA CONCLUSÃO: Se as ações da Petrobras tivessem lá atrás acompanhado a média de valorização das empresas de petróleo citadas, ela teria ido de US$ 3 para no máximo US$ 9, e hoje valendo US$ 14 (?) ainda estariam comparativamente muito bem.

QUINTA CONCLUSÃO: A Petrobras não tem como finalidade principal remunerar seus 100 MIL acionistas, ela tem como objetivo e missão, trazer riqueza, gerar riqueza, desenvolvimento, para 200 MILHÕES de Brasileiros. Ou seja, muito diferente do que visam as outras empresas, que tem no LUCRO sua razão de ser, sem compromissos sociais ou de apoio ao desenvolvimento dos seus respectivos países de origem.

SEXTA E ÚLTIMA CONCLUSÃO: Dona Míriam não gosta nem um pouquinho do PT e de seus governos e raciocina assim: Quando a PETROBRAS valoriza fica por conta de conjunturas externas, quando cai é por ser mal administrada. Dona Míriam também parece que não sabe fazer conta, e muito menos interpretar a economia especial e talvez singular do Brasil.

COMPLEMENTO - LEITOR LEMBRA (Split) DESDOBRAMENTO DE AÇÕES EM 2008
Anônimo disse...
Corrija sua matéria que a imagem do desempenho da Petrobras vai ficar ainda melhor. Em 2008, houve "Split" das ações da Petrobras. Ou seja, cada ação virou duas ações. Para manter os termos da comparação, você deve DOBRAR o valor atual das ações OU DIVIDIR por 2 o valor das ações até 2008.

FOMOS ATRÁS DA INFORMAÇÃO
VALOR ONLINE
Publicado:24/03/08 - 0h00

SÃO PAULO - A Petrobras informou em comunicado que foi aprovado hoje, em Assembléia Geral Extraordinária, o desdobramento das ações da empresa na razão de 1 para 2. Desta forma, para cada ação da empresa, o acionista receberá gratuitamente outro papel, da mesma espécie. O mesmo ocorrerá com os ADRs da companhia negociados em Nova York.

De acordo com deliberação da assembléia, será usada como base para o desdobramento a posição acionária do dia 25 de abril deste ano.

A última vez que a Petrobras realizou um desdobramento de ações foi em setembro de 2005.

Geralmente as empresas desdobram suas ações para diluir o valor unitário do papel e, assim, aumentar a liquidez dos negócios em bolsa.

(Valor Online)

Lindberg "nocauteia" Aécio no Marco Civil, mesmo com tucano partindo para a baixaria.


Durante a votação do Marco Civil da Internet, os senadores do PSDB estavam embromando. Falavam que eram a favor, mas arranjavam mil desculpas para não votar.

Apesar do Marco Civil ser um projeto acima de partidos, originado da sociedade brasileira, amplamente debatido e chegando a um texto final por acordo na Câmara dos Deputados, os senadores do PSDB e DEM estavam "embaçando" para não votar, criando dificuldades.

Os tucanos não queriam se queimar com os internautas, mas queriam fazer oposição sectária para que o Brasil não tivesse ainda um Marco Civil no encontro internacional sobre governança mundial da Internet promovido em São Paulo a partir de quarta-feira (22).

Aécio Neves (PSDB-MG) disse que a votação seria apenas para promover a presidenta Dilma Rousseff no encontro internacional sobre governança da Internet.

O encontro pretende abrir caminho para tratados internacionais que garantam direitos do internauta contra a espionagem ilegal, conforme ocorreu com agências de inteligência estadunidenses, denunciado pelo ex-analista Edward Snowden. Por isso o governo dos Estados Unidos não quer leis como o Marco Civil da Internet brasileiro, e nem que sirva de exemplo para outros países.

Portanto não era para a presidenta se promover, como disse Aécio. A questão é de direitos dos internautas, de soberania nacional e do nosso povo, de altivez na política externa e de protagonismo mundial do Brasil.

O PSDB tem um histórico de ser servil aos Estados Unidos em vez de servir ao povo brasileiro e de fazer uma política externa independente. O comportamento de Aécio confirmou isso.

Lindberg Farias (PT-RJ) tocou o dedo na ferida explicando tudo isso à Aécio no plenário. O tucano ficou enfurecido e partiu para agressões verbais e tentativa de desqualificar o oponente, já que havia perdido o debate político e não tinha mais argumentos para responder.

Houve bate-boca e o senador tucano Mário Couto (PSDB-PA) quis arrumar confusão para tumultuar e salvar Aécio do vexame. Tarde demais. O vexame já estava dado.

Logo em seguida o Marco Civil foi aprovado à noite. Aécio deveria ter ficado no Rio nesta terça-feira para não dar esse vexame.

O vídeo acima sintetiza o que importa. A questão política com "P" maiúsculo que estava em jogo, sem as baixarias de Aécio e Mário Couto.

Em tempo: a discussão completa com as baixarias de Aécio e Mário Couto podem ser vista aqui na TV Senado (Aécio começa a falar a partir dos 7 minutos).

Aprovado Marco Civil da Internet. Ponto pra Dilma

"Senado aprovou, por unanimidade, na noite desta terça (22) o projeto de lei que normatiza a Internet no país, estabelecendo regras e penalidades para abusos na rede; texto foi aprovado sem alterações, em sessão tumultuada, e agora segue para sanção da presidente Dilma Rousseff (PT); aprovação atende orientação do Planalto, que deseja apresentar a nova lei na NETmundial, conferência que começa amanhã na cidade de São Paulo e discutirá o futuro da internet e a gestão da rede, hoje marcada por supervisão fortemente norte-americana

Brasil 247

O projeto de lei do Marco Civil da Internet foi aprovado por unanimidade em votação no Senado na noite desta terça-feira, 22, na sessão do plenário.
Na manhã desta terça-feira, o projeto foi aprovado pelas comissões de Constituição e Justiça (CCJ),de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) e de Ciência e Tecnologia (CCT). No final da tarde, a pauta da casa foi invertida por 46 votos a 15 e o Marco Civil foi à votação.

Houve tumulto na sessão que aprovou a inversão de pauta: a oposição, liderada pelo PSDB, argumentou que o o Senado poderia "aperfeiçoar" o texto, conforme afirmou o líder do DEM, José Agripino (RN), e tentou aprovar uma emenda alterando as disposições sobre a neutralidade de rede.

Caso tivesse sido aprovada, a emenda faria com que o projeto de lei tivesse de voltar à Câmara dos Deputados, para votação das alterações no texto, o que contrariaria a vontade do Planalto, que desejava a aprovação do projeto imediatamente, para apresentação do projeto na NETmundial, conferência que começa amanhã na cidade de São Paulo, com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT) e discutirá o futuro da internet e a gestão da rede, hoje marcada por supervisão fortemente norte-americana.O criador da internet, Tim Berners-Lee, também participará do evento.

Durante a discussão em torno do projeto, o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) bateu boca no plenário do Senado com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) durante votação do projeto do Marco Civil da Internet. Na confusão, o senador Mário Couto (PSDB-PA) partiu para cima de Lindbergh com o dedo em riste e teve que ser contido pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) para não trocar agressões físicas com o senador petista. O tumulto teve início depois que Lindbergh, ao chegar ao plenário para participar da discussão do projeto, disse que Aécio não estava dialogando com a maioria da sociedade ao colocar-se contra a aprovação rápida do Marco Civil –ao contrário do que afirma nos programas do PSDB no rádio e na TV.

O senador Aécio Neves defendeu a aprovação do Marco Civil da Internet, mas lamentou, no entanto, que a base do governo do PT tenha impedido que os senadores pudessem aprimorar o projeto que, para ele, deve ser reconhecido como uma conquista de toda a sociedade brasileira. “Todos somos a favor da neutralidade da rede e gostaríamos, única e simplesmente, de trazer os últimos aprimoramentos ao projeto. A nossa divergência é em relação ao respeito ao procedimento legislativo. Há uma convergência em 90%, 95% do texto. Reafirmo meu apoio ao projeto, que poderia ser aprimorado se tivéssemos, aqui, garantida a nossa prerrogativa básica, que é de legislar, aprimorar as propostas que vêm da Câmara dos Deputados. Isso nos foi tirado hoje. É uma discussão que interessa aos brasileiros e não apenas a um partido político. Esse marco é da sociedade brasileira, que lutou muito para que ele viesse", afirmou Aécio Neves em plenário.

Abaixo matéria da Agência Senado:

O Senado aprovou por unanimidade o marco civil da internet (PLC 21/2014). Embora a oposição tenha firmado a necessidade de mais tempo para discussão sobre o tema, uma manobra regimental do governo possibilitou a inversão de pauta e colocou o projeto como primeiro item da Ordem do Dia desta terça-feira (22). O interesse da base foi a aprovação rápida e sem emendas para que o projeto vire lei durante o seminário Netmundial, que ocorrerá em São Paulo a partir desta quarta-feira (23).

Assim que for publicado, o projeto irá para sanção da presidente da República, Dilma Rousseff. Ele estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores na rede mundial de computadores no Brasil.
Mais cedo, o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), garantiu que haverá oportunidade de ajustes do texto no futuro, por meio de medida provisória. De manhã, duas comissões permanentes haviam aprovado o projeto – a de Constituição e Justiça (CCJ) e a de Ciência e Tecnologia (CCT). A terceira comissão de mérito pela qual o projeto deveria passar foi a comissão de fiscalização e controle, a CMA, que deu seu parecer já no Plenário.

O relator ad hoc, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), destacou que o projeto é fruto de um amplo ciclo de debates e consultas feitos, inclusive, pela rede de computadores. De acordo com ele, o marco civil foi construído pelos usuários num processo inovador, inclusivo e democrático.

– O resultado foi um texto maduro, equilibrado e inteligente, que balanceia os direitos e obrigações dos usuários – disse Ferraço.

Ele lembrou que hoje os administradores de sites de hospedagem podem retirar conteúdos mediante notificações. A partir da nova lei, isso terá de ser feito apenas por determinação judicial. Na opinião dele, o Brasil está dificultando a ação de hackers e serviços de espionagem de dados e comunicações.
– Essa é uma norma legal para coibir a cooperação das empresas de internet com agências e serviços de espionagem eletrônica, como a norte-americana NSA. A evolução tecnológica tornou difícil, senão impossível, a plena garantia da privacidade online. Mas o sigilo das comunicações pela internet estará certamente mais protegido com as novas regras para guarda e disponibilização de dados pessoais.

Ferraço concordou que o texto merecia mais análise, mas disse que está satisfeito com a promessa feita por Braga de que ele poderá ser revisado mais tarde. O senador Walter Pinheiro (PT-BA) também considerou a hipótese:

– Este é um conjunto de diretrizes que aponta para o ordenamento do uso da internet. Aperfeiçoamentos podem ocorrer, futuramente.

No debate, Pinheiro lembrou que a sobrevivência tem sido difícil para os pequenos provedores de internet. Os que dominam o mercado, afirmou, estão ligados a grandes empresas de telecomunicações.

- A neutralidade determina o caminho e a qualidade do serviço prestado, tendo em vista o direito do cidadão. O marco civil permite completar a obra de liberdade de comunicação e a quebra de monopólios que tínhamos no país – explicou.

Críticas

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) disse que a oposição poderia impedir a votação obstruindo-a ou apresentando emendas de Plenário, mas não o faria. Contudo, lamentou a posição da presidente Dilma e o “afã dos senadores em querer agradá-la”. Como os demais senadores da oposição, ele pedia tempo para aperfeiçoar o texto.

O artigo 31 foi um dos que estava na mira de Aloysio. O texto determina que "até a entrada em vigor de lei específica, a responsabilidade do provedor de aplicações de internet por danos decorrentes de conteúdo gerado por terceiros, quando se tratar de infração a direitos de autor ou a direitos conexos, continuará a ser disciplinada pela legislação autoral vigente". Aloysio traduziu o enunciado como se dissesse “a lei de direitos autorais deve ser respeitada até quando for modificada”.

- Isso é ridículo – resumiu o parlamentar.

A oposição focou, ainda, a redação do artigo 10, que trata da guarda e da disponibilização dos registros de conexão e de acesso a aplicações de internet, como de dados pessoais e do conteúdo de comunicações privadas. O texto motivou dúvidas durante a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) porque havia preocupação sobre a abrangência do termo “autoridades administrativas”, que podem requisitar dados cadastrais, por exemplo.

O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), relator do projeto na comissão, concordou com a troca de "autoridades administrativas" por “delegado de polícia e o Ministério Público”, mas ela não foi adiante porque faria o projeto voltar para a Câmara, e isso não era interesse do governo.

Entre os principais pontos do projeto, está o artigo 9º, que protege a neutralidade de rede. Ou seja, o tratamento isonômico de quaisquer pacotes de dados, sem distinção de preços para a oferta de conteúdo. A regra determina tratamento igual para todos os conteúdos que trafegam na internet.

Assim, os provedores ficam proibidos de discriminar usuários conforme os serviços ou conteúdos que eles acessam - cobrando mais, por exemplo, de quem acessa vídeos ou aplicações de compartilhamento de arquivos (que exigem maior utilização de banda larga).

Tramitação

Encaminhado pela Presidência da República em 2011, o marco civil foi aprovado na Câmara dos Deputados no final de março deste ano, depois de estar em pauta por dois anos. No Senado, o texto já chegou com pedido de urgência constitucional, ou seja, com prazo de 45 dias para análise. Não levou nem um mês para ser votado.

A proposta começou a ser discutida em 2009 e foi elaborada pelo governo tendo como base o documento “Princípios para a governança e o uso da internet”, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). O texto, que passou por consulta pública entre 2009 e 2010, busca estabelecer uma regulamentação geral sobre o uso da internet."

terça-feira, 22 de abril de 2014

Em festa tucana para Aécio com dinheiro público, povo pobre não entra. Estudantes protestaram com farinha.

Ouro Preto sitiada para Aécio não ser vaiado.
Imprensa chapa branca demotucana, como a TV Globo, só fez perguntas que Aécio gosta.
Ninguém perguntou sobre o helicóptero do aliado Perrella apreendido com meia tonelada de cocaína.
Ninguém perguntou se a ausência de Pimenta da Veiga confirmava renúncia à candidatura.
Ninguém perguntou se a ausência de senadores e governadores tucanos era "cristianização" de sua candidatura.
Faixas reclamam de deboche e agressão à população, além do desperdício de dinheiro público.
Povo não pôde entrar.
População excluída do evento 
Excluídos da festa, muitos moradores reclamaram do fechamento da praça Tiradentes e do esquema de restrição de acesso às ruas próximas ao evento. Um grupo de cerca de 50 estudantes também protestou e vaiou durante toda a cerimônia. O barulho era notado no palanque, sem arrancar reações do senador Aécio Neves e demais autoridades. Os jovens jogaram farinha no meio da rua.
Só convidados e pessoas cadastradas puderam assistir a cerimônia. Um forte aparato policial foi montado para evitar manifestantes. “E um absurdo. Os seguranças não nos deixam passar e isso fere o nosso direito de ir e vir”, disse o estudante Fernando Silva, 25.
A dona de casa Maria Das Graças Silva, 54, também reprovou o esquema que limitou o acesso da comunidade. “Tive que andar mais de 20 minutos a mais para chegar a minha casa. Se é um evento popular não deveria ter tanta restrição”, reclamou.
Palavras de ordem dos manifestantes:
A praça é nossa, a praça é minha! Mas tá fechada pra galera da farinha
Eu sou civil, a praça é minha, então porque o militar me policia?
A liberdade é só fachada! O apartheid em Ouro Preto nunca acaba!
Uso da máquina para fazer campanha
Apesar do evento ser oficial do governo de Minas e pago com dinheiro público, ganhou ares de showmício tucano.
A escolha de Aécio como orador já foi uma forma explorar o evento eleitoralmente. Apesar do povo local ser mantido à distância, gerou imagens e manchetes.
O pior foi o prefeito de Ouro Preto, José Leandro (PSDB). Fez campanha eleitoral antecipada sem a menor cerimônia, dizendo que iriam eleger Aécio o próximo presidente.
Pimenta da Veiga cada vez menos candidato
A ausência do pré-candidato a governador Pimenta da Veiga pelo PSDB foi notada e interpretada como sinal de que sua candidatura já foi para o vinagre.
Apesar dos tucanos ainda desmentirem que ela vá desistir, desde que o tucano foi indiciado por lavagem de dinheiro após a Polícia Federal quebrar o sigilo fiscal do tucano e descobrir que ele só declarou no imposto de renda em declaração retificadora, depois de ser pego com a boca na botija durante a CPI dos Correios recebendo dinheiro de Marcos Valério.
Ausência de lideranças nacionais mostram candidatura de Aécio frágil
Apesar de haver 240 agraciados com medalhas, muitos não compareceram. Nenhum governador de outro estado veio, nenhum senador, pouquíssimos deputados. Nem FHC foi dar uma força. Um vexame para Aécio, desprezado pelos próprios tucanos.
O cafezinho da campanha presidencial tucana parece que já está sendo servido frio antes mesmo da campanha oficial começar.
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

FANTÁSTICO TOMBO NA AUDIÊNCIA DA TV GLOBO - PROGRAMA TEM O PIOR IBOPE DE SUA HISTÓRIA

2014 ESTÁ SE REVELANDO UM ANO PÉSSIMO PARA A TV GLOBO
O JORNAL NACIONAL, BBB, E AGORA O FANTÁSTICO, BATERAM RECORDES NEGATIVOS DE AUDIÊNCIA. JORNALISMO SEM CREDIBILIDADE E UM PADRÃO DE MEDIOCRIDADE, APELAÇÃO E BAIXARIAS, VÃO AFASTANDO O PÚBLICO, QUE JÁ NÃO SUPORTA A MESMICE E A MENTIRA DA EX-TODA PODEROSA"

Noticias do front.


De pior em pior, tá piorando tudo!

"O “Fantástico” não rendeu uma boa audiência para a Globo na noite deste domingo (20), a revista eletrônica bateu recorde negativo histórico.....
De acordo com números prévios, o programa apresentado por Renata Vasconcellos e Tadeu Schmidt marcou 13,8 pontos de média...
É o pior resultado já registrado pelo “Fantástico” (http://tvfoco.biz)..".

Colaborou: H. Pires

======================================================================


O Fantástico teve o pior Ibope de sua história: algumas sugestões para tirá-lo da draga


, Diário do Centro do Mundo 

"O Fantástico terminou o domingo passado com a pior audiência de sua história. Marcou 13,7 pontos de média no Ibope (a Record fez 10,4 e Silvio Santos, 10).

Foi a última edição com o formato atual. A partir da semana que vem, ele volta reformulado.
Imagens dessa renovação vazaram através de um site pirata especializado em TV, o que deixou tensos os executivos que esperavam que poderiam surpreender os telespectadores.

Duas coisas vão acontecer com a reestreia do Fantástico. Primeiro, nada.

Depois, nada. Nada vai reverter o destino do programa-símbolo do baixo astral do domingo e da falta de imaginação. São tentativas de ressuscitar um cadáver. O Fantástico é um peixe dourado comprado numa feira livre, fora do aquário, se debatendo em cima da mesa.

O que poderia salvá-lo?

Se estivéssemos num ambiente competitivo e não num monopólio, você poderia apostar numa pressão dos fãs. É algo relativamente comum nos EUA. Fãs de programas canceladas por baixa audiência ou por causa de anunciantes que se recusam a patrocinar um material controvertido se articulam para salvá-las.

Nos anos 70, os admiradores de “Jornada nas Estrelas” organizaram uma campanha para enviar cartas à rede NBC quando souberam do cancelamento após a segunda temporada. Conseguiram esticar uma terceira.

Em 2011, o seriado “Community” estava com a corda no pescoço. Mandaram emails, criaram páginas no Facebook e, finalmente, fizeram um flash mob em frente aos estúdios fantasiados de Papai Noel, cantando a música-tema de um dos episódios iniciais. “Community” está no ar até hoje.

É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que encontrar alguém capaz de amar o Fantástico a esse ponto, um dos maiores casos perdidos da história do entretenimento. Quais as alternativas? Pedir a volta da zebrinha? Sugerir um quadro de humor com o filho de Chico Anysio tentando fazer o que Chico Anysio não fazia, ou seja, arrancar uma risada? Trazer Hélio Costa de onde quer que ele esteja para uma série de reportagens picaretas sobre ciência picareta?

Como nada disso vai acontecer, o Fantástico vai definhar até chegar a 5 pontos e se fundir com o Faustão numa grande orgia televisiva dominical. Vai sumir sem ser notado. Como dizia T.S. Elliot, assim vai expirar: não com uma explosão, mas com um suspiro."

Barbosa, o carcereiro eterno de Dirceu

Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:
No mesmo feriado prolongado em que foi expedida a ordem de prisão de José Dirceu ele se entregou na sede da Polícia Federal em São Paulo. Em 17 de novembro de 2013, por volta das 19 horas, o ex-ministro cruzou os umbrais de uma época de sofrimentos que lhe passariam a ser impostos por alguém que se converteria em uma combinação de carcereiro e verdugo: o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.
Sem razões pessoais conhecidas para odiar Dirceu, só há uma explicação para a conduta que o presidente do STF tem adotado ao fazer o possível, o improvável e até o impossível para manter esse condenado pela Justiça atrás das grades a despeito de sua condenação lhe facultar o regime semiaberto: Barbosa segue um plano minuciosamente urdido para não apenas gerar efeitos políticos com essas execuções penais, mas para torturar, acima de qualquer outro, um político que talvez tenha os inimigos mais poderosos que qualquer outro político brasileiro já teve na história recente.
O plano contra os alvos principais da Ação Penal 470, vulgo Julgamento do mensalão, começa a ganhar forma quando se analisa a execução das penas dos condenados do mensalão. O ex-presidente do PT José Genoino figura na documentação como número 1, a execução de Dirceu é a número 2 e a de Delúbio Soares, número 3. Os demais condenados foram identificados em seguida.
Mas a evidência mais clara de que Barbosa planejou cuidar pessoalmente para que as penas desses três fossem o mais duras possível reside em um casuísmo inédito na história da Justiça brasileira. Um dia antes de decretar a prisão de Dirceu e Genoino, entre outros, Barbosa criou uma nova classe processual para executar suas penas.

Dilma responde a Gabrielli

Por Estadão: BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff rebateu ontem a declaração do ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli de que ela "não pode fugir da responsabilidade" sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Dilma, por meio de seu ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, reafirmou ter aprovado o negócio em 2006 com base em um resumo executivo que não continha duas cláusulas importantes do contrato.
Para evitar que o conflito se estenda ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem Gabrielli é próximo, Dilma aproveitou mais cedo o seu programa semanal de rádio para enaltecer as gestões petistas à frente da Petrobrás.
A entrevista de Gabrielli ao Estado, publicada no domingo, contrariou Dilma por causa da cobrança feita pelo ex-presidente da companhia. Ontem ela acionou Mercadante por telefone e pediu que ele divulgasse seu posicionamento.
"Como já foi dito pela presidente e demais membros do Conselho de Administração da Petrobrás, eles assumiram as suas responsabilidades nos termos do resumo executivo que foi apresentado pelo diretor internacional da empresa", disse o ministro ao Estado. "Este episódio está fartamente documentado pelas atas do conselho que demonstraram que os conselheiros não tiveram acesso às cláusulas Marlim e Put Option e não deliberaram sobre a compra da segunda parcela. Gabrielli, como presidente da Petrobrás à época, participou de todas as reuniões do conselho e assinou todas as atas que sustentam integralmente as manifestações da presidente."
A compra aprovada por Dilma foi de 50% da refinaria em 2006 por US$ 360 milhões. A cláusula Put Option obrigava a Petrobrás a adquirir a outra metade da belga Astra Oil em caso de desacordo comercial, enquanto a Marlin previa uma rentabilidade mínima à sócia devido a investimentos que seriam feitos para que a refinaria passasse a processar óleo pesado, como o produzido no Brasil.
Após uma disputa na justiça norte-americana, o negócio acabou custando US$ 1,25 bilhão à estatal brasileira. Em 2005, a Astra tinha comprado a mesma refinaria por US$ 42,5 milhões. Segundo a Petrobrás, porém, a empresa belga teve outros gastos e teria investido US$ 360 milhões antes da parceria.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Direita homenageia Adolf Hitler em Santa Catarina


"Homenagem" em aniversário de Adolf Hitler assusta itajaienses
Marcos Espindola

Um amigo de Itajaí ficou assombrado ao se deparar com cartazes homenageando o aniversário de Adolf Hitler, ocorrido no domingo (20/4). As peças trazem a assinatura de White Front (algo como “Frente Branca”) e foram coladas em postes no Centro da Cidade. Nos cartazes, a imagem do líder nazista com a mensagem: “Heróis não morrem. Parabéns Führer”. A existência de um suposto grupo ou de simpatizantes do nazi-fascismo é algo novo e assustador para uma comunidade historicamente pacífica e plural.